Entrevistas

Qual o potencial da Randstad? Ser uma marca mais humana

Criar uma marca mais humana e com uma ligação forte ao mundo do trabalho. É esta a ambição da Randstad Portugal, expressa pela nova diretora de Marketing e Comunicação, Isabel Roseiro. Assim se explica a mais recente campanha, centrada no potencial de cada pessoa.

quinta-feira, 03 novembro 2022 12:35
Qual o potencial da Randstad? Ser uma marca mais humana

Briefing | O que motivou a mais recente campanha da marca? Porquê o insight da escassez de talento?

Isabel Roseiro | A procura de talento é, nos dias de hoje, um dos grandes desafios das empresas. É certo que as empresas sempre tiveram a preocupação de atrair e reter os melhores talentos, mas o desafio é hoje maior, tendo em conta a escassez de pessoas disponíveis no mercado de trabalho.

Temos já o posicionamento “human forward”, mas sentimos, como marca, que estamos numa altura “mais human forward do que nunca”, em que a valorização dos profissionais e a comunicação próxima e humana que trazemos diariamente no nosso trabalho devem ser traduzidas num novo claim. E, nada melhor do que associar este impacto diário que os consultores têm com o facto de encontrarmos o potencial dos profissionais.

A nova campanha da Randstad, que assina "Nós vemos o teu potencial. E tu?", nasceu do nosso ADN: ver o potencial de cada um dos nossos colaboradores, candidatos e, porque não, clientes e parceiros. Porque, no final do dia, todos temos potencial pronto a ser descoberto.

Em que medida esta campanha reforça o posicionamento da marca?

Pretende-se reforçar o posicionamento da Randstad, “human forward”, com uma comunicação mais próxima e humana, focada no potencial individual de cada um.

Muito mais do que apenas aumentar a notoriedade e preferência, a Randstad, como líder em Portugal, tem a responsabilidade de elevar ao próximo nível a relação, aumentando a relevância e a diferenciação.

Chegou o momento de criarmos uma marca ainda mais humana e com uma ligação forte ao mundo do trabalho. Isto eleva a ideia de human forward. Num contexto que é incerto e volátil, propomo-nos fornecer a empatia e as competências de que as pessoas precisam.

Pretendem impactar a vida profissional de 500 milhões de pessoas em todo o mundo, até 2030.  Como se materializa esta visão em Portugal?

Ajudar as pessoas a encontrar o trabalho certo é o nosso principal objetivo. Só no ano passado, a Randstad ajudou mais de dois milhões de pessoas a encontrar o emprego certo, aconselhou 235.000 clientes sobre suas necessidades de recursos humanos – desde a aquisição de talentos até à gestão total da força de trabalho – e disponibilizou formação a mais de 450.000 pessoas.

Também em Portugal, a Randstad assume a responsabilidade que tem nas vidas de profissionais e empresas. Conseguir o match ideal entre talentos e empresas é o que move diariamente os nossos consultores. E isto só se consegue com uma comunicação próxima com os talentos, pois sabemos o que mais procuram. Não encontramos só um emprego, disponibilizamos aconselhamento, temos artigos focados em momentos-chave para as pessoas, como a entrevista ou até o momento de trocar de emprego.

Queremos ser reconhecidos pela nossa especialização e isso só é possível se estivermos na linha da frente das tendências do mercado de trabalho.

Esta campanha é a primeira desde que está à frente da Comunicação e do Marketing da Randstad. Diria que é um bom começo?

Sem dúvida. A nossa relação com o talento importa, agora mais do que nunca. Muitos deles têm dúvidas sobre o futuro. Procuram aliados para ajudá-los a encontrar o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Procuram quem os ouça, quem mostre interesse e compreenda os seus objetivos.

Por essa razão, falar de talento é uma excelente forma de elevar o posicionamento “human forward”. Cada vez mais, sabemos a importância da experiência dos talentos e o impacto que temos na vida das pessoas.

O planeamento de meios desta campanha mostra que queremos estar onde os profissionais estão. Entre o digital, em plataformas de streaming como o Spotify, onde temos uma camada de recém-licenciados, e o offline, em mupis nas principais estações do metro, frequentado por mais de 170 milhões de pessoas anualmente.

O posicionamento que trazemos com esta campanha é um ponto de partida muito positivo e que mostra que as empresas terão, cada vez mais, uma maior preocupação com as suas pessoas. E nós que o digamos, já que as pessoas estão no centro do nosso negócio.

Que estratégia se propõe desenvolver? E quais as prioridades para a marca?

Com as pessoas e o propósito como prioridades, assumimos a missão de moldar o mundo do trabalho.

Um importante foco é a relação com o talento, porque entendemos a importância do trabalho na vida de uma pessoa. Este relacionamento com o talento também contribui para o sucesso dos nossos clientes. O match entre o talento certo com o trabalho certo ajuda, tanto os profissionais quanto os clientes, a atingirem os seus objetivos e ambições.

Ser o parceiro estratégico em soluções de recursos humanos é igualmente uma prioridade estratégica, aprofundando a relação com os clientes, otimizando os serviços numa busca de melhoria contínua.

Outra importante dimensão é a tecnológica, entendendo a importância da inovação e adotando uma abordagem tech & touch, em que a Randstad potencia o uso da tecnologia, mas sem perder a conexão pessoal.

Por fim, reforçar os valores que nos movem, em queas pessoas, a inclusão e a especialização estão no centro de tudo o que fazemos, procurando atingir a melhor versão de nós próprios.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

quinta-feira, 03 novembro 2022 12:43

bt nl

2050.Briefing

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing